Fogo com azul do céu – Autocrítica fotográfica

16.7.18


Olá!

Vou continuar com o meu exercício de auto-observação, analisando algumas das fotos que tirei por aí. Desta vez peguei uma da Laura.

Bom, para começo de conversa, vale considerar que a pessoa é ignorante de bonita rs. Tem uma fotogenia ao simples virar para lá e para cá que sem dúvida, proporciona uma satisfação a mais para quem está no controle de uma câmera fotográfica.

Aliás, já que toquei neste assunto no artigo “Ensaio Fotográfico– O brilho está na sua essência”.

Ser fotogênico não é apenas ter beleza, desta que estamos acostumados a ser decantada a quatro cantos em uma sociedade imperfeita. Tem muito mais a ver com o estado de espírito da pessoa.

Mas voltando para a fotografia em questão. Ela foi tirada numa tarde linda de sol e céu azul. A praça que fomos não tinha muita coisa em especial; não em termos.

Sombras de imensas araucárias e luzes típicas de ambientes arborizados faziam uma dança muito bacana. Isso auxilia na busca por composições diferentes, deixando com que a decisão de serem capturadas fotos contra ou a favor da luz, seja serena e muito prazerosa.

Tinha também umas pequenas árvores floridas, só não me pergunte qual a espécie. Foi entre elas que encontramos muito naturalmente, uma sequência harmônica nas composições.

O desfoque gerou uma suave sensação que combinado com as cores verde, rosa e nesta foto em específico, o azul, conferiu um equilíbrio muito bonito ao tiro. Vale dizer que o azul nesta fotografia se trata de um objeto físico do local aos fundos e não do espaço celestial, mas que marcou, como que numa homenagem a este dia muito bonito.


Porque falo isso? Bom, esta harmonia das cores numa fotografai acontece por uma série de fatores, que começam desde a composição, ou seja, da sua atenção ao que o ambiente lhe oferece e também após o trabalho de campo, ou seja, num trabalho de pós-processamento.

A jaqueta jeans que a Laura estava usando auxiliou, pois era num tom azul claro; o batom também estava na cor das flores. São detalhes, mas que potencializaram o resultado final.

Os raios solares, no horário que foi tirada a fotografia, tomaram esta característica dourada por conta do ruivo do cabelo da modelo e não pela famosa hora dourada da fotografia.

A priori seria isso. Foi uma fotografia que apreciei bastante o seu resultado final. Porém, muito a melhorar. Muitos detalhes para aprimorar.

É minha melhor fotografia? De jeito nenhum.

Creio que onde estamos agora é sempre nosso melhor momento como profissional, como entusiasta que seja e principalmente, como ser humano. Então, sempre estou para capturar a minha melhor fotografia.

Obrigado e até a próxima.


Você poderá gostar também

0 comentários

Apoie o blog Unalome

O blog Unalome Fotografia e Evolução é um projeto independente, que busca trazer muito mais do que conteúdo de qualidade e original para seus visitantes, mas um olhar sereno e sério sobre novas formas de interação. Para isso, conta com uma estrutura mantenedora de cada ação presente em suas páginas, que vão da hospedagem até a criação de conteúdo, inclusive da comunicação visual. Se quiser contribuir financeiramente, doe qualquer valor. Ajude a manter o projeto ativo. Obrigado!

Unalome no Google Plus