Holga - A Chinesinha Imprevisível

22.1.18


A primeira vez que eu me deparei com algo relacionado à esta câmera, foi quando estava pesquisando um pouco sobre o histórico do fotógrafo David Burnett (clique e veja o artigo), um dos grandes nomes da fotografia mundial e especialista em eventos esportivos. Na pesquisa descobri que entre seus equipamentos, ele não deixa de considerar sempre uma máquina Holga.

A câmera Holga surgiu em 1982 na China, com o objetivo de suprir a demanda pelo filme mais popular no país naquele momento, o 120 médio formato. Somando-se a isso, obteve um grande impulso também pela popularização das chamadas toy-câmeras (câmeras simples e baratas) no Ocidente.

Entre as características deste tipo de câmera, é que suas lentes e corpo são de plástico, fato que causa distorções, produzindo um efeito diferente nas fotos, algo como um “sonho”, o que levou muitos amantes da fotografia a procurá-la justamente por isso. Um fato curioso, uma vez que este efeito acontece pela má qualidade das lentes e por serem uma peça única. Isso reforça a condição da fotografia ser um labirinto nem um pouco convencional.

Outro ponto que adiciona contornos peculiares ao equipamento da marca, é o efeito conhecido como Vinheta. Basicamente este é mais popular, pois não raro observamos trabalhos onde as bordas do frame estão mais escuras do que seu centro.

Os entusiastas e amantes da lomografia, um processo fotográfico que se utiliza de câmeras de baixo custo, encontraram nas câmeras da marca Holga um leque interessante para diversas customizações, ou seja, alterações para diferentes resultados.


Infinitas possibilidades deste extraordinário universo fotográfico, inclusive em pequenos equipamentos que na visão de alguém menos informado, pode não passar de um mecanismo rústico e ultrapassado, sem valor algum, é um demonstrativo da riqueza envolvida na fotografia.

Não creio ser necessário explicar que se trata aqui de uma riqueza não mensurável em números, pois materialmente falando, uma máquina Holga pode facilmente ser encontrada com valores na média de 300 reais no mercado virtual.

Holga Digital

A empresa com sede em Hong-Kong lançou a versão digital da Holga, baseado na histórica versão analógica.

Ajustes de abertura de f/2.8 e f/8.0, sensor de 8MP 1/3.2” CMOS, sapata para flash e montagem de tripé e armazenamento em cartão SD (cartões Wi-Fi são suportados), além de operação por bateria AA, modo de obturação Bulb para longa exposição e compatibilidade com micro USB, estão entre as novas características desta versão.

A histórica máquina carrega a imprevisibilidade em cada captura, o que com certeza lhe atribui um valor inestimável para apreciadores da arte e por quem consegue sentir cada imagem capturada.



Você poderá gostar também

0 comentários

Apoie o blog Unalome

O blog Unalome Fotografia e Evolução é um projeto independente, que busca trazer muito mais do que conteúdo de qualidade e original para seus visitantes, mas um olhar sereno e sério sobre novas formas de interação. Para isso, conta com uma estrutura mantenedora de cada ação presente em suas páginas, que vão da hospedagem até a criação de conteúdo, inclusive da comunicação visual. Se quiser contribuir financeiramente, doe qualquer valor. Ajude a manter o projeto ativo. Obrigado!

Unalome no Google Plus