Liberte-se ou aprisione-se

21.3.17


Este sentimento que se aproxima é mensageiro de uma lição já demonstrada ao longo dos séculos, mas que insistentemente se vê arrastada para debaixo do tapete na vã tentativa de ser esquecida. A chave está com você.

O planeta sendo um organismo vivo, dinâmico e transformador que volta após volta traça caminhos independentes das vontades egocêntricas daqueles que se proclamam seus donos, segue sossegadamente seu destino entre as estrelas.

Se nós temos as faculdades da vida para nos formarmos, o planeta já nasceu com um lugar só seu na órbita do sol. No máximo um asteroide aqui e outro ali, ou mesmo um cometa em breves passagens com agradáveis trocas de sorrisos astronômicos.

Enquanto aqui estamos nós. Microcosmos perdidos em nosso próprio caminhar, necessitando desesperadamente do GPS para localizar-se mais ou menos pelas cidades. Mas nada disso por culpa do mundo tarimbado na famosa trilha, a Via Láctea.

Esse danado está em forma e conhece bem suas fases. A lua fica fissurada por ele. Alguns até especulam tragédias escritas em livros chamados de apocalípticos e falando no automático bobagens do tipo “o mundo está perdido”, “o mundo vai acabar” ou então, “o mundo está doente”.

Aqui vale um segredo bobo que também não precisa estar em livros. O planeta está face a face com o sol dia após dia. Vitaminado pelos raios poderosos e conhecendo como poucos o astro rei. Há inclusive um zumzumzum que láááá num futuro longínquo, o mestre solar irá crescer tanto que num abraço conduzirá a todos para uma nova dimensão. Eu boto fé que vai mesmo.

Saudável ele segue. Poluição do ar, mar, rios e tudo o mais é um lamentável fato de conduta humana. Numa chacoalhada e o planeta coloca tudo em limites toleráveis novamente.

Nesta dança pelo sistema solar a Terra vai seguindo seu destino. Minha dúvida é com quem não pensa em soltar-se daqui. Ouço tantos dizeres sobre o infinito, mas percebo que ele anda um tanto limitado demais.

Não há uma atenção quanto ao significado mais silencioso da existência. Parece mais uma fuga da responsabilidade que temos em promover avanços.

O problema sempre está no lado, em cima, neste ou naquele. Nunca em nós.

Mesmo quando uma doença física "misteriosamente" nos surge, é preciso ter em mente que ela foi somatizada e com a nossa permissão em algum momento.

Cada um de nós dispõe de uma chave. Com ela é possível libertar-se ou aprisionar-se.

Consciência de viver é o que a Terra tem de sobra e o que nós devemos urgentemente buscar.

Poesia - Túneis do tempo

Visualizo túneis do tempo,
acreditando estar
num destes mais moderno
Mas digo isso daqui,
observando deste lado;
fico curioso em saber
como nos veem
de lá pra cá.


Você poderá gostar também

0 comentários

Comunidade no Facebook

Unalome no Google Plus