A barragem evolutiva

19.2.17


A civilização parece sofrer pequenas descargas de consciência de tempos em tempos, mas passado a agitação inicial, volta a adormecer em efêmeras buscas, deixando-se atrair pelo caminho do conforto, oferecido por mentes alienadas e acovardadas, no abuso da materialidade irracional.

Quando escrevo algo sobre despertar, conscientizar e zona de conforto, é para ilustrar as dificuldades de um meio onde todos nós - eu disse todos nós - estamos inseridos. Um mundo onde a parte espiritual é deixada de lado e que quando não o é, serve para errôneas interpretações.

Tenho a sensação que muitos interpretam certos textos que escrevo, como um chamado a largar tudo e sair pelas estradas, tipo um andarilho sem rumo, desaparecendo aos olhos da imperfeita sociedade.

Mas longe de ser isso o proposto.

Seja seu orientador antes de tudo. Desarme sua existência de ideias preconcebidas, e cultive a arte de pacificar o seu íntimo. Feito isso, criará um ambiente mais livre em sua mente, com espaço para organizar racionalmente o que for absorvendo.

Assim, irá conseguir visualizar se um objeto encaixa-se corretamente em sua casa interior.

Se ela organizada e limpa está, será mais claro esta verificação.

Isso faz parte da reforma íntima.

Já passou um tempo considerável, daquele que foi o maior desastre ecológico da história do Brasil. O rompimento da barragem da empresa Samarco, em Mariana/MG.

Pouco ou quase nada parece ter sido alterado e corrigido, para que outros não ocorram mais. Fato que diga-se de passagem, não foi acidente.

A lama devastou uma extensa área. Fauna e flora. Uma riqueza ecológica única, que teve importantes rios sendo atingidos.

E o mais impactante aos nossos sentidos, as vidas e histórias interrompidas.

A ligação entre o que parece ser dois temas no texto é no que diz respeito ao despertar urgente, abrindo espaço conscientemente na tarefa de nos dispomos a uma reorganização de prioridades em cada um de nós. Isso um dia refletirá no coletivo.

A dormência após o choque inicial sobre o desastre é visível.

Enquanto isso a lama alastra-se como uma onda vibracional. Avança. Alcançando milhões de pessoas, até atingir o oceano.

Se acha que foi apenas coincidência e fatalidade. Sinto-lhe informar.

A natureza é sábia e mais uma vez vítima em um acontecimento decorrente da ação humana, cobrará na sincronicidade perfeita, o ajuste pela irresponsável barragem evolutiva.


Você poderá gostar também

0 comentários

Comunidade no Facebook

Unalome no Google Plus