Não há revolução definitiva e sim, amor sem limites

11.1.17


Não há dúvida do quanto as revoluções foram capazes de impor transformações durante a história da humanidade, contudo, nenhuma ainda foi capaz de igualar-se em força e profundidade com a esquecida revolução íntima.

Livros de história nos contam detalhes das revoluções ocorridas em diversas épocas, retratando seus heróis e personagens contraditórios. Todos estes atores deixaram nos palcos pelo mundo, importantes contribuições para um avanço muito além daquilo que seja possível elencar, não importando qual venha a ser o livro.

Porém, por mais emblemático que este livro possa ser, não conseguirá reunir todos os pormenores existenciais, atuantes na vida de cada um. Na revolução íntima de cada um.

De forma alguma tratamos aqui, de desmerecer o enriquecimento que cada obra oferece aos leitores, mas fazemos apenas uma observação de que não há libertação por conta destas, mas sim, pelo fato de existir uma sutil e poderosa ação mental a se manifestar em nós, receptores conscientes ou inconscientes por vezes, a nos fazer sentir a necessidade de um avanço urgente. Se consciente estamos, maior a precisão ao buscar compreender o significado da palavra liberdade.

Isto porque é no silêncio do diálogo sincero de nossos pensamentos com a história, que melhor compreendemos a importância que temos no teatro da vida.

Tantos desconfortos e tantas barbáries foram e são cometidas, pois muitos ainda entendem que só pode-se considerar revolução, aquelas externamente manifestadas. Acreditam serem somente estas, as com capacidade para promoverem caminhos novos, aos corações imperfeitos e altamente fragilizados.

O mundo arrasta-se ainda em grilhões escravagistas, alimentados por sentimentos de baixíssima envergadura moral. Ganância, egoísmo, inveja e tantos outros conduzem mentes a acreditarem que são somente os movimentos brutos vindo de fora, do externo, a terem condições de alterar os contornos mais profundos da alma dos demais. Lamentável engano.

Mal conseguem imposição perante a si mesmos, pobres criaturas.

Um dia clamarão por reconstrução dos mal feitos. Principalmente daqueles cometidos a si mesmos.

Mudanças serão cada vez mais uma constante no mundo. O natural ensejo de avanço, ainda adormecido na maioria, é um imã de poder ainda pouco explorado, mas capaz de alterar o que muitos consideram impossível.

Quanto mais as pessoas se conscientizarem da busca íntima pelo seu aperfeiçoamento, mais a insatisfação com o morno será revelada e a inércia não será mais aceita.

A inércia dos pensamentos, mantenedores de um mundo desigual não terá mais espaço. A reconstrução de tudo e de todos, é uma verdade que nenhum de nós poderá questionar sob pena de autopunição logo ali.

"Nada é. Tudo está. A revolução verdadeira já começou e poucos sentiram." Unalome

A revolução é leve para aqueles que a percebem. Contundente e mais dura com os recalcitrantes.

De qualquer forma, definitivamente infinita e com um ingrediente em comum...

...amor.


Você poderá gostar também

0 comentários

Comunidade no Facebook

Unalome no Google Plus