Aeroperto

2.1.17


A Lua em uma conversa com o Sol, mostrava-se intrigada com pequenas aglomerações, que iam e vinham de um lugar para outro no planeta Terra.

Enquanto escutava atentamente sua amiga cósmica, o Sol mantinha um sorriso apaziguador, e aproveitou uma pausa no diálogo para iniciar algumas considerações, na tentativa de clarear as indagações lunares.

- Observe um pouco mais de perto minha lunática amiga - disse o astro rei, escolhendo um entre tantos pontinhos, com minúsculas criaturinhas a se movimentar.

Ao vibrarem mais perto, puderam ver pequenos veículos que levantavam e desciam, com um limite espacial suficiente para deslocar-se no perímetro terráqueo.

Entravam em cada veículo, certo número de pessoas, que eram transportadas de uma esquina para outra no globo.

Em cada um dos espaços feitos para acomodar estes cilindros com asas, pessoas aguardavam para uma comovida despedida, ou para uma afetuosa recepção.

Com cara de quem ainda não estava entendendo direito, a Lua pergunta:

- Mas vejo pessoas chorando. Umas tristes e outras felizes. Para que tanta emoção só para ir até ali?

O Sol chacoalhou levemente a cabeça e ponderou:

- Não podemos exigir ainda que tenham a nossa visão. A questão de tempo e espaço são medições úteis na Terra em proporção diferente da nossa, querida Lua. São através delas que se torna possível exercitar muitas emoções. Ali estão envolvidos outros sentimentos que irão tão somente fortalecer laços.


A Lua sorriu mostrando começar a entender e disse:

- Claro, com fui boba. Vejo tanta gente indo até vales naturais para ficarem mais próximas de mim, e não consegui enxergar que precisam destes deslocamentos para crescerem e se tornarem aptas para voos mais altos e independentes. Quem sabe até para outros sistemas cósmicos não é mesmo?

O Sol satisfeito respondeu:

- Perfeitamente minha amiga. É na verdade um aeroperto. Quanto mais longe acreditam estar um do outro, mais perto e ligados estão.

- Inclusive de nós - respondeu a Lua.

E voltaram a atenção para suas responsabilidades diárias.


Paz.


Você poderá gostar também

0 comentários

Comunidade no Facebook

Unalome no Google Plus